1368 1434 1539 1871 1779 1507 1804 1303 1066 1547 1128 1153 1458 1448 1492 1951 1216 1519 1523 1896 1517 1035 1141 1399 1625 1785 1903 1398 1578 1885 1107 1067 1999 1623 1361 1254 1490 1522 1647 1299 1630 1287 1434 1809 1390 1228 1171 1825 1487 1192 1456 1595 1432 1076 1612 1558 1720 1147 1546 1716 1564 1170 1995 1539 1405 1584 1309 1618 1545 1828 1852 1694 1336 1265 1659 1338 1607 1077 1093 1474 1284 1381 1639 1941 1085 1238 1849 1775 1552 1049 1669 1620 1648 1482 1104 1509 1294 1815 1084 A Cidade - Prefeitura Municipal de São Félix do Coribe - Site Oficial
Manual de navegação logo

Manual de navegação

Acessibilidade logo

Acessibilidade

Fale conoscobat-papo

Fale conosco

  • *Campos obrigatórios
  • Ao iniciar um contato, você concorda com a Política de privacidade

  • ...Ou se preferir

  • Ligue para nós

    (77) 3491-2921

  • E-mail

    prefeitura@saofelixdocoribe.ba.gov.br

  • Ou seja atendido presencialmente

    Segunda a sexta-feira, das 08:00 às 12:00 horas e 14:00 às 17:00 horas..

    Rua Lourenço da Silva Pereira, n° 77

  • Outros meios de contato

Em conformidade com:

A CIDADE

São Félix do Coribe - Bahia

Histórico:

 

O início do povoamento do local onde hoje está instalada a cidade de São Félix do Coribe aconteceu por volta do ano de 1901, mais precisamente quando chegou a esta região, oriunda da cidade de Livramento do Brumado, fugindo de uma terrível seca, a família do Sr. Liberato de Araújo Castro, sua esposa e seus filhos, dentre eles Leônidas de Araújo Castro e Clemente de Araújo Castro, sendo estas, as primeiras pessoas a terem grande participação na formação do povoado.

Leônidas se instalou na margem direita do Rio Corrente, onde foram construídas as primeiras casas sendo algumas de adobe de barro e outras de taipa. Neste local, que mais tarde foi denominado de Fazenda São Félix, começou as suas atividades agropecuárias e posteriormente, atividades políticas. Seu irmão Clemente de Araújo Castro, apesar de ter se instalado do outro lado do Rio Corrente, em Santa Maria da Vitória, onde exercia atividades comerciais e depois ingressando na política, se tornou um dos homens mais importantes daquela época. Mantinha também negócios relacionados com a agropecuária e a indústria na Fazenda São Félix. Dentre esses negócios, destacamos a fábrica de manteiga e a indústria de beneficiamento de algodão, sendo que, esses dois empreendimentos eram movidos através de energia elétrica produzida ali mesmo, por uma usina termoelétrica que ainda fornecia energia para algumas residências em Santa Maria da Vitória.

No decorrer de alguns anos, foram chegando e fixando residência no local, pessoas de outras regiões, umas que vinham à procura de trabalho e outras atraídas pelas grandes áreas de terra propícias às atividades agropecuárias, transformando então a Fazenda São Félix em um pequeno Povoado, ocasião em que começaram a surgir algumas pessoas para explorarem também atividades comerciais.

Com a emancipação do Distrito de Coribe, houve um equívoco quanto ao limite intermunicipal, ficando o Povoado de São Félix, no centro de uma disputa entre os municípios de Santa Maria da Vitória e Coribe. Nessa época, o Povoado já contava com uma praça e algumas ruas e era administrado equivocadamente pelo Município de Coribe, que chegou a realizar calçamento em uma praça e a construir um mercado e um prédio escolar, pois os dirigentes do Município de Coribe achavam que o limite era o Rio Corrente, quando na realidade era uma linha imaginária que partia da foz do Rio Formoso no Rio Corrente, em direção leste até o encontro com o riacho da Pedra Branca. Dirimido o equívoco, ficou comprovado que o Povoado de São Felix, pertencia de fato e de direito, ao Município de Santa Maria da Vitória, que por alguns anos teve como um de seus principais povoados e posteriormente fazendo parte da zona urbana, ocasião em que foram realizadas obras tais como o calçamento de várias ruas na administração do então Prefeito de Santa Maria da Vitória.

As primeiras famílias a morarem no município, além da de Leônidas de Araújo Castro, foram as de Agnelo da Silva Braga, Manoel Rodrigues, João Gomes, Geremias da Silva Lula, João José de Barros, Ângelo Costa, Francisco Pereira de Souza, Amaro Alves de Oliveira e José Ferreira, entretanto, foi nas décadas de 1970 e 1980 que o Povoado mais desenvolveu, chegaram e fixaram residência várias famílias vindas de outras regiões, as quais podem citar a família de Arquimedes Xavier da Silva, Raimundo Pereira dos Santos, João Alves dos Santos, João "Beraba", Antônio "Vermelho", Arnaldo Ferreira, Edson José da Silva, Jorge Fogaça e outras.

Foi a partir dessa época que os proprietários das terras, Clóvis de Araújo Castro, Clemente Barros e posteriormente Agnelo da Silva Braga, lotearam algumas áreas de suas propriedades e com isto o Povoado cresceu e seus moradores já passaram a trabalhar e a sonhar na sua emancipação política administrativa.

Somente em 04.10.1988 e depois de um trabalho incansável de várias lideranças políticas locais foi realizado um plebiscito, cujo resultado foi favorável a sua emancipação política.

 

Gentílico: são-felicense

Formação: Administrativa

 

Em 13.06.1989, com terras desmembradas dos municípios de Santa Maria da Vitória e Coribe, foi criado o Município de São Félix do Coribe, através da Lei nº 5.011 e publicada no Diário Oficial do Estado da Bahia do dia 14 de junho 1989, sendo a primeira eleição realizada em 15 novembro 1989 e a sua instalação aconteceu solenemente no dia 01 janeiro 1990, tendo sido nesta mesma data instalada a Câmara de Vereadores que em seguida empossou o primeiro Prefeito Sr. Nery Pereira Batista.

 

Fonte: Pesquisa e compilação de Joselino Rodrigues de Souza, IBGE. Agência de Santa Maria da Vitória, BA.